Recentemente aprendemos as escalas maiores para trompete. Agora veremos como organizar uma orquestra sinfônica.

Existe uma dúvida muito comum entre os músicos profissionais e amadores: qual é a organização de uma orquestra sinfônica? Para responder a esta dúvida, usaremos este infográfico criado pela Faculdade Souza Lima. Veja a seguir:

Conheça a Organização de Uma Orquestra Sinfônica

gráfico da organização da orquestra sinfônica

A orquestra sinfônica é formada por cerca de 80 músicos, sendo divididos em cinco classes: cordas (violinos, violas, violoncelos, contrabaixos e harpas); madeiras (flautas, flautins, orboés, corne-inglês, clarinetes, clarinete baixo, fagotes e contrafagotes); metais (trompetes, trombones, trompas e tubas); percussão (tímpanos, triângulos, caixas, bombo, pratos, carrilhão sinfônico e etc.) e teclas (piano, cravo e órgão).

O nome orquestra veio do grego e significa, literalmente, agrupamento instrumental para execução de música de concerto. Começou no Renascimento, no século XVI, depois seguiu pelo Barroco, onde foi marcada pela presença das violas e no classicismo, surgiu a orquestra clássica, com a formação que conhecemos hoje. A diferença entre orquestra sinfônica e a filarmônica é a forma administrativa, sendo a primeira pública e a segunda por instituição particular, mas sem fins lucrativos.

No início das orquestras não existia a presença do regente, pois o número de músicos era reduzido. O primeiro maestro foi o compositor Lully (1632 – 1687), dirigente do grupo 24 violinos do Rei, na corte francesa, em meados do século XVII. A presença do regente à frente da orquestra tornou-se mais comum no fim do século XVIII, sendo o responsável pela interpretação da música, estabelece o andamento da execução, destaques de vozes e instrumentos em determinadas passagens, faz a junção dos instrumentos de maneira harmônica e estabelece a entrada dos instrumentos. Além disso, é o maestro que estabelece rotina de ensaios e, em alguns casos, é o responsável pela administração da orquestra.

Atualmente, há diversos tipos de formações: banda sinfônica, orquestra de câmara, orquestra de jazz, bandas militares e outras. No Brasil, umas das orquestras mais conhecidas é a OSESP – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – outra bem conhecida também é a Orquestra Sinfônica Brasileira e muitas outras por diversas cidades.

Curso de Música em Balneário Camboriú / SC

Se você quer aprender um instrumento em Balneário Camboriú, a melhor opção é o curso da Simili Ensino Musical. As aulas de todos os instrumentos musicais são semanais com duração de 50 minutos cada e você ainda tem livre acesso a participar das aulas de Teoria Musical e de Canto Coral Infantil ou Adulto, além de concertos, masterclass, prática de banda e aulas quinzenais gratuitas de apreciação musical para toda a comunidade.

As salas de aula são desenvolvidas para o melhor aproveitamento do ensino musical, paredes tratadas acusticamente, salas climatizadas, monitoradas por câmeras e com instrumentos novos.

Nosso corpo docente é constituído de professores altamente qualificados e com grande formação musical, entre eles, mestres, doutores e alguns com carreira internacional.

A metodologia de ensino é extremamente eficiente e focada na técnica do instrumento, onde as aulas instrumentais são individuais e as complementares são em grupo visando uma melhor formação.

Faça a sua matrícula ou caso ainda esteja em dúvida, faça uma aula experimental. Curso de música, em Balneário Camboriú, é na Simili Música.

Pré-Inscrição

Faça sua pré-inscrição em um de nossos cursos e entraremos em contato para efetivar a sua matrícula!